Vã Inocência


Vã Inocência

Allan Garrido

Extasiado não se desfaz
A loucura tua que me apras
Traga-me logo teus beijos em minha boca
Arrepio quente que deixa louca

São molhados e quentes salivar
É de propósito pra não deixar
Escapar o manjar dos deuses
Ah! douda sina de te amar

Na vã inocência perdida
Entre os olhares derretida
Escorre o mel do amor perfeito
Distante estava

Vem ,agora, e deita no meu peito!!
 

Comentários