TANTO....



Tanto...
Poeta Allan Garrido

É um querer abraçado
Feito laço esconde o riso
Esboço de um pedaço
E do seco alagado
O mar bate e as ondas sacodem
A poeira escapa sorrateira
O pranto esvaiu-se pela torneira
Ato contínuo pede o teu pedaço
Oh! amor cativa e bate ritimado
Junto sempre esqueça o passado
No riso fê-ze o céu
E o sol ali copiou
A rosa e o lírio que brotava
Foi exemplo e vôou
É  um tanto querer que não esgota
Assim meu bem cole em minha porta
 

Comentários